The Doctor – Luc Fildes.

The Doctor

A imagem que ilustra este post é a pintura The Doctor do pintor inglês Luc Fildes (1843-1927) concluída em 1887. A obra foi encomendada ao pintor por Henry Tate, que aparentemente pretendia presentear a Rainha Vitória com um conjunto de pinturas relacionadas a algumas profissões da época. Existe um grande número de histórias sobre esse trabalho, mas predomina a versão de ter sido inspirado pelo fato real da doença e morte do filho mais velho do pintor, Phillip, na noite de Natal de 1877. Fildes teria ficado sensibilizado com a atenção dada por um médico chamado Dr. Murray, que teria passado a noite toda ao lado da criança. Para alguns a doença de Phillip teria sido meningite tuberculosa de rápida evolução.
Diversas interpretações têm sido dadas à pintura, mas alguns aspectos se destacam:
a) A casa é bastante humilde, há roupas dependuradas num varal ao fundo. A criança não tem cama, está deitada apoiada sobre duas cadeiras encostadas.
b) Os personagens centrais são o médico e seu paciente. A imagem do médico transmite preocupação, seriedade e conhecimento. A criança sob os seus cuidados, de olhos fechados, dorme ou está inconsciente.
c) Sobre um banco existe uma jarra de água ao lado de uma bacia, que provavelmente foram empregadas para baixar a febre.
d) Sobre a mesa à direita do médico existe uma xícara com uma colher e, mais em frente, um vidro com líquido escuro. Para alguns isso representa medicamento repetidamente administrado durante a noite. Para outros seria uma xícara de café para manter alerta o médico na madrugada.
e) Ao fundo a mãe está com o rosto encoberto, junto a mesa (chorando?) com as mãos em prece. O pai em pé coloca sua mão esquerda sobre o ombro da mãe tentando conforta-la.
f) Para muitos a criança é um menino de cabelos longos. Segundo outros, como Fildes não teria suportado retratar a doença do próprio filho optou por uma menina.
g) O dia está raiando e a luz entra pela janela, ao mesmo tempo que um lampião sobre a mesa ainda irradia claridade. Para alguns o novo dia significa que a criança está prestes a se recuperar. Para outros o jogo de luzes realça o momento transcendental em que o médico se dá conta da irreversibilidade do quadro, a criança está morrendo.
Honestamente, eu prefiro as interpretações pessimistas.
Também vejo o médico num momento de prática do raciocínio clínico, envolto em compaixão pela criança.
Os direitos sobre essa imagem pertencem a Tate Gallery que eu espero não venha me cobrar pelo seu uso…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>