Desespero Versus Insensatez em Autocirurgias

Retornando de um evento científico recente minha atenção foi chamada por história contada pelo colega Giovanni Roncalli Caixeta Ribeiro, de Patos de Minas, a qual pode ser confirmada em alguns sites da internet e, devido à sua curiosidade, reproduzo abaixo:

No dia 5 de fevereiro de 1941 o médico baiano Ubaldino Gusmão Figueira realizou na cidade de Patos de Minas uma auto-apendicectomia, a qual foi presenciada por dois colegas convidados e documentada por fotógrafo, como comprovado na imagem abaixo.

Apresentação1

O Dr. Figueira criou o primeiro hospital particular de Patos de Minas e, acometido por uma crise de apendicite, acabou se auto-operando com a ajuda de um assistente e de espelhos. Para tanto ele empregou anestesia local e, ele próprio, fez todos os procedimentos “pele a pele”. Segundo descrição fornecida pelo próprio cirurgião e de posse da sua filha no ano de 2012 ele utilizou como anestésico a substância “Sinalgan”. Ele alega ter consigo ver com detalhes apenas as incisões dos três primeiros planos: pele, tecido celular e aponevrose. A incisão dos demais planos foi feito mais pelo tato do que por visualização, devido a impossibilidade de se curvar sobre a ferida operatória de maneira satisfatória. Antes de fechar a ferida, o auto-cirurgião colocou no corpo um tubo de “Stopton Peritoneal”. O pós-operatório cursou sem intercorrências, o médico tendo feito uso de ampolas diárias de “Glicotrat”. As suturas foram feitas com “cat-gut Crino-Seda”. O médico-paciente se recuperou completamente e, devido a sua proeza, foi motivo de entrevista pela revista Manchete na década de 1950.

Vale salientar que Figueira não foi o primeiro cirurgião a fazer uma auto-apendicectomia. Em 1921 o médico americano Evan O’Neill Kane fez o mesmo tipo de procedimento em Nova Iorque. Contudo, ele não estava acometido de apendicite e sim queria mostrar que era possível fazer tal tipo de cirurgia com anestesia local, sem necessidade do uso de éter. Nesse caso, ao que parece, a incisão empregada foi maior e teve que ser fechada por assistentes. Curiosamente, esse mesmo médico fez uma herniorrafia inguinal em si mesmo em 1932, aos 70 anos de idade.

Caso muito mais grave foi o do médico russo Leonid Rogozov que estava em missão na Antarctica. Após alguns dias com quadro de apendicite e tentativas de tratamento com antibióticos sem grande melhora, se viu obrigado a também se auto-operar. Na época ele tinha 27 anos e, apesar de um pequeno desmaio na cirurgia, conseguiu terminar o procedimento a contento e sobreviver ao episódio.

Diversas outras histórias reais existem sobre procedimentos cirúrgicos em situações extremas de sobrevivência tais como autoamputações de membros presos esmagados sob pedras. Um desses episódios foi motivo de produção cinematográfica em anos recentes. Entretanto, um dos casos mais assombrosos de auto-cirurgia foi o de auto-cesariana feita por uma mulher desesperada em trabalho de parto difícil, moradora em região remota do México. Nesse último caso foi utilizada uma faca de cozinha e, surpreendentemente, é dito que tanto a mãe, como a criança, sobreviveram sem maiores problemas.

É fácil compreender a opção por soluções extremas em situações igualmente extremas. Nesse contexto, faz-se de tudo para sobreviver. Contudo, ao que parece, especificamente no caso do Dr. Figueira, havia outros médicos disponíveis para opera-lo na cidade de Patos de Minas em 1941. Será que ele não confiava nos colegas? Será que desejava provar algo para os demais ou para si mesmo? Ou desejava entrar para a história da medicina?  Ao que tudo indica, se houve, a última motivação não foi completamente atingida, uma vez que o seu feito, no momento, é apenas conhecido no Brasil e não é citado em sites de língua inglesa.

Independente de quais tenham sido as motivações, o procedimento foi uma aposta arriscada que poderia não ter dado certo.

Nos dias atuais é mais prudente ter um bom seguro saúde e manter laços de amizade satisfatórios com os demais colegas de profissão para enfrentar com mais tranquilidade situações de urgência como essa…

 

Referências

  1. Autocirurgia é destaque em centro de memória. Jornal da Associação Médica de Minas Gerais. 2012; 133: 17.
  2. Comitê Proler Uesb de Vitória da Conquiesta – Bahia http://prolervc.blogspot.com.br/2013/02/memoria-literaria-ubaldino-gusmao.html
  3. Top 10 incredible self surgeries. http://listverse.com/2008/12/09/top-10-incredible-self-surgeries/

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>