Doença Pulmonar Associada a Instrumentos de Sopro!

A revista Thorax publicou online, no dia 22 de agosto, o caso clínico de um homem de 61 anos com quadro de pneumonite de hipersensibilidade crônica, atribuível ao crescimento de fungos na bolsa da gaita de fole que tocava diariamente. Segundo o relato, quando o paciente procurou o serviço médico especializado já vinha com história de tosse seca e dispneia progressiva há sete anos. Ao longo desse tempo havia sido feito um diagnóstico de pneumonite de hipersensibilidade crônica, baseado no aspecto tomográfico e em biópsia pulmonar cirúrgica, mas sem identificação de agente causador. O paciente havia sido tratado com prednisona sem mudança substancial da sintomatologia. Na história, foi identificado que o paciente havia tido grande melhora da condição respiratória quando permaneceu por três meses na Austrália mas, ao retornar a Inglaterra, houve recidiva do quadro.

No momento da avaliação, o paciente exibia capacidade vital forçada de 34% e difusão do monóxido de carbono de 33%, valores acentuadamente reduzidos. Ele foi mantido com prednisona e adicionado tratamento com azatioprina. Cinco meses depois da primeira consulta, o paciente retornou ao hospital em franca insuficiência respiratória. A tomografia mostrava extensas áreas de opacidades em vidro despolido sobre um cenário de alterações crônicas fibrosantes. Apesar do tratamento com antibióticos de largo espectro, antifúngicos, antivirais e corticosteroides sistêmicos, o paciente veio a falecer na internação. A autópsia mostrou alterações histológicas compatíveis com pneumonite de hipersensibilidade crônica, as quais se somavam padrão de dano alveolar difuso.

Ao longo da última internação a equipe médica se deu conta que o paciente tinha o hábito de tocar gaita de fole diariamente como forma de distração. Durante o período em que esteve na Austrália, não levou a gaita consigo! Os clínicos coletaram material para cultura do interior da bolsa da gaita de fole e identificaram o crescimento de inúmeras variedades de fungos, entre outros, Penicillium sp, Fusarium sp, Trichosporon sp, etc. Desse modo, ficou caracterizado que a doença do paciente era pneumonite de hipersensibilidade devido a inalação de antígenos desses micro-organismos e que a causa do óbito foi uma exacerbação da doença.

A pneumonite de hipersensibilidade (PH) é uma doença ocasionada pelo surgimento de resposta imune frente a antígenos inalados, na grande maioria das vezes de natureza orgânica. São vários os antígenos que podem causar PH, entre eles proteínas aviárias e bolores. Não se trata de doença infecciosa, mas sim de resposta imunológica frente à exposição crônica a um agente potencialmente danoso para pessoas susceptíveis. São diversos os agentes causadores de PH, o que tem levado ao surgimento de denominações peculiares como, por exemplo, o pulmão do fazendeiro, o pulmão dos criadores de pássaros, o pulmão dos lavadores de queijo, bagaçose, etc. A PH pode se apresentar como formas agudas, subagudas e crônicas. As formas crônicas cursam com alterações fibróticas irreversíveis que podem levar a insuficiência respiratória. Por outro lado, quando o agente causador da moléstia é detectado a doença deixa de progredir e pode mesmo regredir. Por isso, frente a um paciente com doença intersticial pulmonar difusa, PH deve ser sempre investigada e descartada.

O caso publicado por King et al na revista Thorax ganhou grande repercussão, mesmo na imprensa leiga, e vem sendo chamado de pulmão dos tocadores de gaita de fole. Contudo, deve ser reconhecido que na literatura já existiam outros casos de PH associados à contaminação por micro-organismos em saxofones e trombones. Além de fungos diversas bactérias, incluindo micobactérias atípicas, já foram isoladas de instrumentos de sopro e também podem estar relacionadas com o surgimento de PH em músicos. Portanto, ao que parece, o melhor nome para a condição é o pulmão dos tocadores de instrumento de sopro.

Concluindo, existe agora uma nova pergunta a ser feita em pacientes com infiltrados pulmonares difusos:

Você toca algum instrumento de sopro?

 

Referências

Cormier Y. Wind-instrument lung. A foul note. Chest 2010; 138: 467-68.

King J, Richardson M, Quinn AM, et al. Bagpipe lung: a new type of interstitial lung disease? Thorax 2016; ahead of print, 08/22/2016.

Lodha S, Maria S, Sharma OP. Hypersensitivity pneumonitis in a saxophone player. Chest, 1988; 93: 1322.

Metersky ML, Bean SB, Meyer JD, et al. Trombone player’s lung. A probable case of hypersensitivity pneumonitis. Chest 2010; 138: 754-55.

Metzer F, Haccuria A, Reboux G, et al. Hypersensitivity pneumonitis due to molds in a saxophone player. Chest 2010; 138: 724-26.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>