Síndrome de Chilaiditi.

O achado radiológico de coleção aérea no hipocôndrio direito, devido à interposição do cólon transverso entre o fígado e o hemidiafragma direito, foi descrito em 1910 pelo médico grego Dimitrios Chilaiditi. O achado, conhecido como sinal de Chilaiditi, na grande maioria das vezes não tem maior significado, mas deve entrar sempre no diagnóstico diferencial com imagens suspetias de pneumoperitônio e hérnias diafragmáticas.

O achado é descrito entre 0,1 e 0,25% dos estudos radiológicos, mas parece aumentar com o envelhecimento, já tendo sido descrita uma prevalência de 1% em idosos.

A interposição da alça intestinal pode ser transitória ou permanente e, às vezes, envolve porção do intestino delgado ao invés do cólon transverso. Ainda que a verdadeira causa desses quadros não seja completamente conhecida, vários fatores têm sido levantados para o seu aparecimento, entre eles, enrijecimento de ligamentos de sustentação do cólon transverso, atrofias hepáticas, fraqueza diagramática, obstipação intestinal e uso de medicações psicotrópicas.

Quando a interposição da alça intestinal entre o hemidiafragma e o fígado cursa com sintomas, o nome dado à condição é Síndrome de Chilaiditi. Vários sintomas já foram descritos nesse contexto, tais como dores abdominais, distensão abdominal, vômitos, constipação, dispneia e mesmo arritmias cardíacas. A síndrome parece ter uma prevalência em torno de 0,25%, sendo mais comum em homens e acima dos 60 anos.

Embora considerada uma condição benigna, um paciente com essa síndrome, secundária a um megacólon não tratado, teve sua morte atribuída à compressão pelo diafragma do coração direito e arritmias. Em outra situação, insuficiência respiratória foi atribuída à compressão de ambos os diafragmas por alças intestinais hiperdistendidas, havendo necessidade de instituição de ventilação não-invasiva. Um outro caso, envolvendo interposição de alça do delgado, requereu cirúrgica laparoscópica para reversão de um quadro obstrutivo intestinal agudo.

É importante conhecer a Síndrome de Chilaiditi, em especial em ambientes de atendimento de urgência, para não se interpretar quadros de dor abdominal e o achado radiológico, como sendo abdômen agudo perfurativo e correr o risco de erroneamente indicar uma laparotomia exploradora. Nesse contexto, a realização de tomografia computadorizada de abdômen pode ser útil para detalhar a alteração anatômica de modo mais claro e definitivo.

Referências

  1. Belkouch A, et al. Dyspnoea caused by a Chilaiditi syndrome: contribution of the non-invasive ventilation. BMJ Case Rep. 2013; pii: bcr2013010421.
  2. Fomin D, et al. Death caused by hepatodiaphragmatic interposition of the colon. J Forensic Sci. 2017; 62: 247-249.
  3. Takahashi K, et al. Treatment of Chilaiditi syndrome using laparoscopic surgery. Asian J Endosc Surg. 2017; 10: 63-65.
  4. Uygungul E, et al. Chilaiditi sign: why are clinical findings more important in ED? Am J Emerg Med. 2015; 33: 733.e1-2.
  5. Walsh SD & Cruikshank JG. Chilaiditi syndrome. Age Ageing. 1977; 6: 51

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>